Seminário: Eu Sou Autista e Tenho Direitos é realizado em Brasiléia

Foi realizado na manhã de sexta-feira (01), no auditório do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC), em Brasileia o seminário: “Eu Sou Autista e Tenho Meus Direitos”, o evento é do Ministério Público do Acre, em parceria com a Prefeitura de Brasiléia e Poder Judiciário.



Durante o seminário os palestrantes abordaram os seguintes temas: Autismo no olhar da Educação; Autismo no olhar da Saúde; e Autismo no olhar Jurídico. O objetivo é difundir as informações e conscientizar a população sobre o autismo, e dessa forma tentar reduzir a discriminação e o preconceito que cercam as pessoas afetadas por este transtorno do neurodesenvolvimento.


A professora Sheila Amaral, mãe do Darios, se emociona ao falar sobre a rotina com o filho. “Qualquer mãe que venha falar sobre um filho autista irá se emocionar, são muitos desafios que enfrentamos diariamente. O autismo não escolhe classe social, cor, raça ou família. É uma luta diária que envolve os pais e a criança”, disse Sheila Amaral.



De acordo com o Promotor de Justiça, da promotoria cível de Brasiléia, Juleandro Martins, o seminário tem como objetivo dar amparo legal aos pacientes com Transtorno do Espectro Autista. “Temos uma legislação muito avançada inerente ao autismo, mas infelizmente as garantias e direitos não estão sendo efetivadas. A ideia do seminário que estamos promovendo com a comunidade visa efetivar esses direitos e acredito que será um momento muito profícuo, com a participação da comunidade onde certamente tiraremos vários encaminhamentos positivos”, destacou Juleandro Martins.


A prefeita Fernanda Hassem que também participou do seminário enfatiza a importância da ação e do trabalho que o Ministério Público do Acre tem desenvolvido. “Cumprimento especialmente as mães presentes neste seminário tão importante. Aqui fica o compromisso de uma prefeita que quer acertar. É preciso que façamos política pública de inclusão e no que depender da nossa gestão estaremos de mãos dadas pelos direitos e políticas públicas voltadas a atender as necessidades dos pacientes com transtorno do Espectro Autista”, enfatizou Fernanda Hassem.



O seminário contou com a presença da coordenadora do CAPS de Defesa da Saúde, Pessoa Idosa e Pessoa com Deficiência, Doutora Gilcely Evangelista, o Promotor de justiça da promotoria cível de Brasiléia, Doutor Juleandeo Martins, vereador Elenilson Cruz, Secretário municipal de saúde, Francelio Barbosa, presidente do Conselho Municipal de Saúde, Luzinete Ferreira, representante da SESACRE, Jhonatan Pablo, representante do Conselho Tutelar, Gleici Rocha, Gestora da Creche Roma Emilse, Antônia Ferreira, além de autoridades do Ministério Público, de Xapuri, gestores, secretários municipais e pais de crianças com Transtorno do Espectro Autista.



0 comentário